TRE-RO capacita juízes e servidores para enfrentar fake news

O curso foi ministrado por Cristina Tardáguila, diretora da Agência Lupa, que é especialista em fact-cheking (verificação dos fatos)

O curso foi ministrado por Cristina Tardáguila, diretora da Agência Lupa, que é especialista em fact-cheking (verificação dos fatos)

O Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO) está a menos de três meses da próxima eleição e as fake news (notícias falsas) são, no momento, uma das principais preocupações do órgão, tendo em vista o próximo pleito. Por essa razão, nesta segunda-feira (16), foi realizado, de 7h30 às 12h30, o curso “Treinamento de Checagem Lupa – Eleições 2018 – TRE-RO” a fim de identificar, de forma objetiva e ágil, conteúdos falsos compartilhados na Internet.

O curso aconteceu na sala de treinamento do TRE-RO, em Porto Velho, sendo ministrado por Cristina Tardáguila, diretora da Agência Lupa, a primeira do Brasil no segmento de checagem de fatos (fact-checking) e teve duração de cinco horas. Magistrados, servidores da Justiça Eleitoral, assessores do Ministério Público Eleitoral (MPE), assessores de juízes da Corte, servidores da Seção de Comunicação do TRE-RO, da Corregedoria e da Coordenadoria de Segurança das Eleições participaram do treinamento.

No decorrer do curso, a diretora da Agência Lupa, de forma tranquila e didática, explicou o que é checagem de fatos. Os participantes tiveram acesso a conceitos como debunking, verification e ao próprio fact-cheking (checagem dos fatos). Na prática, o trabalho da Lupa, que é membro da International Fact-checking Network (IFCN), consiste em verificar, através de dados oficiais, a veracidade de conteúdos publicados, declaração de um político, de uma autoridade ou de uma imagem que está circulando na Internet, por exemplo.

A capacitação serviu, ainda, para entender de perto como agem as pessoas conhecidas como trolls que, de forma remunerada, criam e propagam notícias falsas e maliciosas. O troll também faz uso de robôs (bots) que são programas de computadores que replicam inúmeras vezes mensagens, para promover uma determinada pessoa ou ideia e, da mesma forma, atacar e ferir a credibilidade de outras pessoas e ideias.

Em meio aos questionamentos sobre a checagem dos fatos na Internet, Cristina falou também sobre o que é verificável e o que não é. De acordo com a metodologia utilizada pela Lupa, são verificáveis: dados históricos, estatísticas, comparações, afirmações e legalidades. Não são verificáveis: opiniões, conceitos amplos, notícias futuras e nem as tendências.

Na reta final do curso, de forma bem prática, os participantes tiveram acesso às ferramentas conectadas à Internet, como, por exemplo, o Buzzsumo - que serve para identificar notícias falsas. Tiveram, ainda, acesso aos programas, também on-line, para checagem de conteúdo com imagens como Google imagens, TinEye, Bing e Yandex.

A Justiça Eleitoral rondoniense continua no ciclo de aperfeiçoamento para enfrentar as fake news, que é um tema atual para as Eleições Gerais de 2018.

 

Seção de Comunicação Social do TRE-RO

Últimas notícias postadas

Recentes